Auto Biografia

Textos de auto apresentação nas épocas, Setembro, de comemoração de aniversário.
.
Em 2016

FAMÍLIAS... Família do meu pai, família da minha mãe, gente de qualidade excepcional que no encontro e na junção, me deram toda a base que tenho como principal; me fizeram o que fui, continuam me fazendo o que sou, e por toda uma longa caminhada, foi justamente o que sempre me prestou. Tenho marcas, carinho e aprendizado das duas famílias queridas, sou Mota e sou Brandão, dois fundamentais alicerces de guaridas que dominam completamente meu ser, meu crescer, meu coração.
TEOSÓPOLIS & ITABUNA... Minha terra e meu lugar, onde nasci, cresci, aprendi, onde me formei e me dei por mim. Igreja e cidade, onde aprendi da felicidade, na convivência com gente de espírito contente; onde aprendi sobre amizade, e com exemplos consistentes, com disposição com marca patente, um berço reflexivo e inteligente. Cidade e igreja, onde conheci como a vida se areja, na dependência de gente de espírito transparente; onde entendi sobre fraternidade, e com exemplos permanentes, com imposição de saga aparente, um adereço impulsivo e veemente. Foram dois grandes presentes de Deus para minha vida, por toda a vida.
RECIFE & SEMINÁRIO... Outra terra querida onde cresci, onde muita gente importante e amável eu conheci, gente que muito contribuiu para meus estudos, e outras façanhas que aprendi: Recife com todos os seus encantos e dom, com todos os seus afetos e som, lugar que ganhei as direções que a vida tinha a continuar em seu tom. Naquela terra passei pelo Seminário, foram anos de convívios "emblemários", um tempo insubstituível para uma vida tocada a galope sem fim. Recife e Seminário, época carinhosa e marcante, sonhos de um passado empolgante, vida que a vida me deu para fazê-la ainda mais galopante do que tem sido.
CASAMENTO & FAMÍLIA... Alguns anjos passaram pela minha vida, como flertes, "paqueras" e namoros, passaram por onde passei, morei, passeei, passaram dando brilhos especiais à minha vida e o meu jeito de ver, entender, gostar, admirar, cortejar, elogiar e ganhar muito com a companhia e a primazia da mulher, indiferente da idade e do status comigo, ao meu lado. Dentre os anjos que me surgiram, lá pelas distâncias do Recife, vinda das mais distâncias do Piauí, Cristina, a doce e tão significante mulher que me surgiu, que me encantou, que me fez ser homem com a visão que, por vê-la, me pulou, me tirou o fôlego que ainda não consegui recuperar. De Cristina, minha família, meus filhos, meus ramos, que como ramos, se espalham com suas própria vidas e vivências. Neste meu aniversário, relembro, entre outras coisas, meu Casamento e minha Família querida, relembro meus filhos, relembro Cristina, relembro tudo isto que se faz minha gostosa façanha preferida.
DIREITO & IGREJA NO BARRO... No Seminário em Recife, conheci, cheguei e me envolvi na Igreja Batista do Barro, dois ônibus para ir, dois pra voltar, até que, depois de muito tempo, chegou um carro, e eu tive como encaminhar. Carregando um filho recém nascido, atravessando as distâncias e dificuldades, tudo isto me deixou aguerrido, tudo isto me deixou um seminarista-felicidade. Na Igreja que cheguei, os tantos anjos que encontrei, me deu álibis de esperança, agilidades nas temperanças, a dose ideal pra conhecer a caminha pastoral que o Senhor me oferecia. Mas, antes de tudo isto, carregado por um ímpeto que até lá, me imputava, num vestibular abrir as portas para a Faculdade, o Direito me achou, me fez crescer, me ensinou, me fez voar com suas verdades. Foram anos dourados, o tempo de me fazer vencedor, de construir meus provocados, de me fazer um lutador.
IGREJA EM IGUAÍ & CIDADE... Do Recife cheguei à Bahia para morar; fui nas terras ricas e alegres, de Iguaí, pastorear. Igreja Batista de Iguaí, rebanho abençoador, cheio de entusiasmos para qualquer situação ou dor, um céu magnífico que meu ministério saboreou sobre as graças do Senhor. Cidade e Igreja duas fragrâncias ilimitadas que pintaram com muita cor radiante, os meus dias e anos naquela terra, com aquela gente, vivendo intensamente a desenvoltura constante do que seja um ministério feliz e consistente. Cinco anos de muito calor humano, dentro e fora da igreja, respeito, afago e reconhecimento, tudo isto me envolvendo em oceano. Bom tempo aqueles, situações abençoadoras daqueles; crescimentos que vivi, e que muito atrevi, céu intenso que experimentei, sonhos , doces sonhos que eu sempre abracei.
IGREJA CENTRAL & TEIXEIRA... Mais uma vez em minha história de vida, e desta vez, Teixeira de Freitas e a Igreja Batista Central, igreja e cidade, mais um tempo que corrobora com minha felicidade, mais um longo tempo para que eu desfrute do meu céu com muita dignidade. A cidade chegou e eu conheci a Igreja, e pela igreja cheguei a conhecer, muito bem, a cidade. A comunidade social foi minha porta para chegar e acampar na igreja, e esta, comunidade espiritual, foi meu portal para chegar esta amada cidade. Por certo, e Deus sempre soube disto, eu nunca seria o que sou sem ter passado, estado, vivido, desfrutado desta cidade e igreja, eu estou nelas, mas é certo que elas estão muito mais em mim; faço parte delas, mas elas são totalmente o que sou. No auge dos enfeites de meu aniversário, vejo-me cidadão teixeirense, sinto-me cidadão central; faço-me integrante de uma igreja, faço-me integrante municipal.
ANJOS BONS & ANJOS MAUS... Num senso comum, sempre há possibilidades de se fazer classificações quantos aos anjos que se aproximam, de muitas maneiras diferentes, da gente, e assim eu também, algumas vezes sou tentado a ser e fazer. Anjos Bons? Quem seriam, de verdade, os que foram tão graciosos comigo que me levaram a prejuízos posteriores? Anjos Maus? Os que me foram tão ruins que me levaram a caminha por caminhos que me conduziram a alegrias posteriores? Posso afirmar, nestes anos que me passaram, que me passam, só anjos bons, abençoadores, alegres momentos, de coloridos diferentes, que me surpreenderam com suas presenças e feitios, com suas palavras e ações, com seus gestos e sentimentos. Só anjos bons, cada um com uma forma própria, cada um com um toque próprio, cada um com um tempo e uma inspiração apropriada. Todos, de alguma forma percebível ou não, reconhecida ou não, marcaram meus dias e existência, minha vida e ministério, meu ser e meu jeito de ser.

Em 2014

MEU ANIVERSÁRIO...
.
Meu mês, meu dia que chega, e com meus muitos anos, homenageando o Senhor Deus, cito nomes, entre muitos, que estão diretamente ligados a esta trajetória que o Espírito de Deus me ajudou a trilhar... Meus pais, Livino Mota, Aidyl Brandao Mota, e minha irmã de todo momento, Aliene Brandão; a Igreja Batista Teosópolis e muitos de seus membros, incluindo Daviel e Odilon Silva e esposas; os Pastores Apolônio Brito, José Rosa que me batizou, e Hélio Lourenço e esposas e filhos; minha tia-avó Tida e Corina Mota, Minha avó Alina Brandão e suas filhas e filhos de criação, e demais familiares paternos e maternos; o Instituto Teosópolis, Colégio Neiva Samara, Escola Municipal de Itabuna, Colégio Divina Providência. Nesse período, as garotas excepcionais que conheci, que tive amizade, e aquelas que namorei ou que não tive o privilégio de namorar. Deus usou bem todos e cada um, me preparando para o restante de minha vida.
.
Em Recife, Pernambuco, na segunda etapa de minha caminhada, por volta dos 19 anos, o Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, onde conheci muitos colegas-amigos-inspirações de todo estilo, e são muitos e queridos, que, sem dúvida nenhuma, podem ser muito bem representados pelo nome de José Pereira, quem muito me motivou em vários aspectos do meu futuro ministério. Da mesma forma, estive por perto de professores que também foram fundamentais ao meu aprendizado, e todos, é claro, podem ser representados pelo nome do Sr. Reitor David Mein, ou por outro nome, como o de Merval Rosa. Mas foi no Seminário que conheci uma das principais chaves para meu amadurecimento existencial e espiritual, minha namorada de sempre, Cristina Nogueira Mota​ que além de muita alegria e influência, me deu filhos como Jônathas David, Matheus Levi e Jozhue Beni.
.
(1)Em Recife PE, ainda, fui Seminarista e depois Pastor da Igreja Batista do Barro, formada, naquele tempo, por pessoas que o Senhor escolheu a dedo para me dar as primeiras e marcantes lições de como pastorear ovelhas; eram pessoas lindas, carinhosas e companheiras. Foram pouco mais de três anos de muito crescimento e felicidade. 
.
(2)Em Iguaí BA, em Sua misericórdia, o Senhor me entregou outro grupo muito bem escolhido para me dar o privilégio de pastorear; juntando o encanto da cidade e seus moradores, passei pouco mais de cinco anos vivendo um paraíso, convivendo com verdadeiros anjos, divinos cooperadores do Reino de Deus, e do meu Ministério naquela amável cidade.
.
(3)Em Teixeira de Freitas BA, pronto, outro céu, outro grupo escolhido a dedo pelo Senhor. Em cada momento apropriado por Deus, o grupo ia se renovando, e novos desafios iam surgindo, e com isto, vinte e tantos anos já se passaram, e os muitos anjos que chegaram e já saíram para outras plagas, continuam sendo inspiração à minha confiança no Senhor; os anjos que chegaram e ficaram têm sido mãos poderosas que o Senhor tem dado ao meu Ministério. Juntando o carinho peculiar da cidade, do povo deste lugar, e a disposição que a membresia da igreja sempre tem tido, me faz um dos pastores mais bem sucedidos nesta e outras regiões. O Senhor, nestes anos, tem me concedido uma liderança comprometida, determinada, ousada, criativa e dada ao melhor apoio que um pastor possa ter ou querer.
.
Ainda há muita história a acontecer, ainda há muita história ser contada, ainda há muita gente a se somar em tudo isto, pois a pesar de mim, a pesar minhas limitações, de minhas deficiências, o Senhor tem feito milagres tão grandes que não tenho nenhuma dúvida que ainda há muito o que me envolver em minha vida, em meu futuro... no Reino do Senhor Deus. 
.

(Em cada uma destas etapas, eu teria muitas pessoas a incluir, são muitos nomes, e sei que esqueceria outros muitos, o que entristeceria, principalmente a mim mesmo, o que diminuiria o prazer que estou sentindo em relatar tudo isto. Assim, primos, tios, amigos, namoradas, colegas, ovelhas e outros tantos anjos não puderam ser mencionados nominalmente... lamentavelmente)
.
.
.